Os profissionais de nossa equipe têm abrangente atuação em projetos empresariais de Inovação Tecnológica, desenvolvimento de novos produtos, Gestão Empresarial Competitiva, CRM, pesquisas de novos mercados, estudos de viabilidade econômica, Comércio Exterior/Exportação, Oficinas SEBRAETEC, atuando na terceirização deste convênio entre o DISQUE-TECNOLOGIA DA USP e o SEBRAE, fortalecendo a criatividade, a motivação, o empreendedorismo, a sinergia dos processos produtivos, a capacitação profissional, a qualidade no atendimento ao cliente e o aumento da produtividade. Nosso corpo diretivo, participou de projetos, com nomes como Luíz Fernando de Gouveia Buffolo, coordenador do Disque-Tecnologia da USP por 10 anos, Claudio Tervydis, que exerceu a Gerência de Tecnologia do SEBRAE-SP e consultores nas áreas de:

- Automação: Fernando César Buffolo
- Negócios Internacionais: Walker V. Ferreira
- Gestão/Novos
Negócios: Wilson V. Melo

O espírito empreendedor e a determinação, sempre estarão presentes nas histórias de sucesso, como a de Thomas L. Fox, que nasceu em Manchester em 1881, cidade industrial que fica à 275 km à noroeste de Londres. Desde garoto, o pequeno FOX ficava maravilhado com os grandes carregamentos de tecidos que vinham de Londres para serem industrializados em sua cidade.

Naquele tempo, a Inglaterra ainda era a principal potência industrial, e mantinha sob sua tutela diversas colônias ao redor do planeta. Ele se habituou a ver mercadorias como a seda oriunda da China e Índia, algodão crú do Paquistão, fibras naturais da Birmânia, etc. Não demorou muito para o jovem FOX perceber que estes "commodities" não possuíam uniformidade quanto a peso, qualidade, custo, origem, e que apesar da Libra Esterlina ser a moeda de referência internacional, muitas empresas não possuíam qualquer ferramenta de controle mais rudimentar que fosse.

É bom lembrar também, que naquela época não estavam disponíveis informações metereológicas sofisticadas que previssem períodos de seca ou inundações, combate à pragas, auxílio de adubos, etc. Isso provocava uma volatilidade muito grande, e era muito comum o encerramento abrupto de atividade das empresas da região.

Da mesma forma não se dispunha de mecanismos padronizados de contabilização e gestão. Atento a isso, aos 20 anos FOX já desenvolvera padrões que viriam a ser aperfeiçoados e quase que universalmente aceitos como o conceito de débito e crédito, ou o acompanhamento de despesas e receitas de forma sistemática. Com o crescimento das empresas e o amadurecimento do mercado de consumo, esta prática se tornou imprescindível. Em 1907 Thomas L. FOX abre um escritório em Londres, no 56 da Carriageway, próximo ao porto do Tâmisa. Logo é reconhecido como um padrão de ética, profissionalismo e visão. Começa a prestar serviços para a City, a principal praça financeira do mundo. Participa da criação, implantação e instrumentalização dos primeiros lançamentos de "bonds" de países com conversibilidade em outras moedas. FOX também atuou de forma preponderante no levantamento de dados como "accountant" para a Coroa, e durante 38 anos foi "adviser for financial matters" da "House of Lords" .

Em 1916, ou seja, antes da primeira guerra mundial, abre filial em Paris, constituindo-se assim na primeira consultoria a dar passos rumo à globalização, e em 1927, ou seja, 2 anos antes da grande Crise Mundial, atuou firmemente como conselheiro de grandes empresas americanas. Naquela época as comunicações ainda eram difíceis, e os transportes apesar de já existir o avião, era quase uma aventura cruzar o Atlântico. FOX acompanhou o processo de extinção de conversibilidade da Libra e a reestruturação de mercados visando a retomada do crescimento.

Com a aproximação da Segunda guerra mundial, os governos aliados criaram "junks financial projects" visando adaptarem as indústrias que produziam bens de consumo para a produção de material bélico e a FOX atuou como "consultant", posteriormente foi eleita para acompanhar a liberação e a aplicação de R$12,3 bilhões liberados pelo Plano Marshall para a Europa.

Em 1951, morre Thomas L. FOX , assume seu filho Peter R. FOX que procura divulgar a imagem institucional da empresa. Nesta época, muitas empresas americanas já têm seu faturamento na casa do bilhão de dólares, começam a surgir outras empresas de consultorias quase todas se baseando no "benchmarking" FOX Consulting.

Quem puxar pela memória vai se lembrar que em vários filmes ingleses das décadas de 40, 50, e 60 a FOX Consulting era citada quando se precisava de um padrão de credibilidade.

Nos últimos 30 anos, com o advento das telecomunicações, desenvolveu-se de sobremaneira todo o sistema financeiro mundial, criaram-se novas operações, as bolsas de valores deixaram de ser exclusividade de minorias em grande parte dos países, produtos como derivativos passaram a fazer parte do vocabulário do homem comum. Operações que antes ficavam registradas nos papéis, agora só constam nos registros eletrônicos. A FOX sempre se preocupou em proteger os interesses de seus clientes, para isso a FOX sempre esteve na frente destas iniciativas.

Com o falecimento de Peter R. FOX em 1982, e como seu fundador sempre teve como objetivo antes de uma expansão desmedida, uma sólida base de serviços, em que sempre fosse possível oferecer o melhor padrão em atendimento, a FOX passou a atuar apenas como formatadora, se associando a parceiros internacionais após criteriosa avaliação de princípios, qualificação acadêmica e capacitação profissional, podendo a qualquer momento ser descrendenciado caso não preencha esses atributos.

Enfim, o compromisso da FOX é com você, aqui você terá o melhor!

Resposabilidade Social

FOX Consulting